Atualidade

ASPPM acusa Governo de inaugurar equipamentos sem garantir efectivos

Associação Sindical enumera problemas na Polícia Marítima

publicidade

A Comissão Administrativa da Associação Sócio-Profissional Polícia Marítima acusa o Governo de inaugurar equipamentos que «se vão manter encerrados por falta de efectivo policial».

A denúncia é feita na página do Facebook da ASPPM e também através de uma nota à imprensa regional do Algarve, no qual afirmam que esta entidade reuniu ontem (quarta-feira) com os profissionais da Polícia Marítima da região do Algarve «face ao adensar dos problemas com que estes profissionais se defrontam diariamente».

Entre estes a organização sindical aponta «a falta de segurança própria para intervenção em ocorrências de ordem pública; a falta crónica de efetivo bem como uma carga horária desumana que se pratica nos comandos da PM no Algarve, em que se excede em mais de 240 horas mensais de trabalho nos diversos comandos locais».

Apontam também a que «Comandos Locais da PM com lotações muito deficitárias e postos policiais com um só elemento de serviço levam a que o policiamento seja muito deficitário, levando a que muitas das ocorrências, a PM não possa intervir, face à falta da própria segurança do elemento policial».

Outra das preocupações dos profissionais da PM no Algarve, atendendo à falta de pessoal existente, prende-se com o embarque destes elementos nos navios e embarcações de guerra para alegadamente legitimar a intervenção de militares em matérias de segurança interna, como o caso de clandestinos, imigração e tráficos, deixando os comandos locais sem efetivo para fazer face às necessidades das populações.

A ASPPM mostra-se também ‘perplexa’ com a inauguração que decorreu esta quarta-feira do posto policial da Quarteira, pelo Ministro da Defesa Nacional, João Gomes Cravinho, «que deu nota da sua importância enquanto infraestrutura, esquecendo-se de referir que depois de inaugurado se mantém encerrado por falta de efetivo policial, à semelhança de muitos outros postos pelo país, criando-se desta forma uma falsa expectativa de maior segurança para as populações ribeirinhas».

O ministro João Gomes Cravinho inaugurou o Posto Marítimo da Quarteira e a Estação Salva-Vidas, no âmbito de uma parceria entre a Autoridade Marítima Nacional, o Município de Loulé e o Ministério do Mar/Docapesca.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui