ASPP e APG unem-se «Em defesa do polícias contra as agressões às autoridades»

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) e a Associação dos Profissionais da Guarda (APG-GNR) entregaram hoje na residência oficial do primeiro-ministro um documento onde abordam o aumento das agressões na PSP e GNR.

0
109
Tempo de Leitura: < 1 minuto

A Associação Sindical dos Profissionais da Polícia (ASPP/PSP) e a Associação dos Profissionais da Guarda (APG-GNR) entregaram hoje na residência oficial do primeiro-ministro um documento onde abordam o aumento das agressões na PSP e GNR, intitulado «Em defesa do polícias contra as agressões às autoridades».

«O Parlamento não aprovou a atribuição do subsídio de risco à PSP e GNR… apesar de ter aprovado uma recomendação nesse sentido, em janeiro de 2018.

As agressões graves contra policias aumentam de dia para dia e, em contraciclo, o Parlamento não reconhece o risco associado ao desempenho da missão policial.

Nos últimos dias temos assistido, seja pelos órgãos de comunicação social, seja pelas redes sociais, a ocorrências policiais onde se pode visualizar a dificuldade, a exigência, o risco a que os polícias estão sujeitos.

Esta matéria referida como preocupante pelo director nacional da PSP na sua tomada de posse, reflete bem o problema que não deve ser desvalorizado pelas várias entidades responsáveis.

Este problema com que os polícias se confrontam coloca em causa a sua qualidade e própria segurança dos cidadãos.

Uma polícia fragilizada é uma polícia condicionada ao desempenho cabal da sua missão.»

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome