Quantcast Choice. Consent Manager Tag v2.0 (for TCF 2.0)
coronavírusJustiçaNacional

Aniversário da GNR assinalado pelo Governo e Presidente da República

- publicidade -

As comemorações do 109.º aniversário da Guarda Nacional Republicana foram este ano assinaladas por via digital, com mensagens do Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, do Primeiro-Ministro, António Costa, e do ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, transmitidas na página oficial desta força de segurança no Facebook.

Para Marcelo Rebelo de Sousa «o papel da GNR perante a atual pandemia de covid-19 tem sido crucial e insubstituível, estando junto dos mais carenciados e auxiliando populações confundidas e perturbadas».

O chefe de Estado referiu que este é um ano diferente, caracterizando-o como sendo «de provação, de sacrifício, de angústia, de ansiedade, de dúvida, de incerteza e de imprevisibilidade.

E no meio de tudo isto é bom haver instituições, é o caso da vossa, que são um fator de segurança, certeza, de previsibilidade. São na afirmação da autoridade do Estado, da ordem pública, dos valores comunitários, do respeito pelos direitos dos cidadãos, mas também na proximidade social, na solidariedade. Isso tem sido muito claro ao longo dos últimos meses», sustentou o Presidente da República.

António Costa também elogiou a postura desta força de Segurança, perante «situações excepcionais como as que a pandemia de covid-19 causou, voltando a reforçar a «postura dos portugueses, para a qual muito tem contribuído também a postura de todos os que servem na GNR».

Por sua vez o ministro da Administração Interna disse hoje que a pandemia da covid-19 veio dar uma «dimensão ainda maior ao papel da GNR».

Eduardo Cabrita recordou a história e as missões desempenhadas pela GNR que, este ano, celebra os 109 anos «num contexto único».

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui