Parceiros
Opinião

Análise Política

Uma crónica de João Garrett Condelipes.

- publicidade -

Decorreu no passado dia 11 de março, o jantar da tomada de posse oficial da Mesa da Assembleia e da Comissão Política do PSD de Alcochete, em que aceitei o desafio de ser seu Vice-Presidente, foi uma decisão tomada em consciência com a enorme responsabilidade, de poder representar Alcochete, as suas gentes e tradições.

Foi uma noite de convívio e partilha entre os militantes, em que tivemos o prazer de ter como convidados, da comissão politica distrital, o presidente Exmo. Sr. Dr. Paulo Ribeiro, bem como o companheiro Exmo. Sr. Eng.º Manuel Puga, e também o médico e deputado do PSD, Exmo. Sr. Dr. Ricardo Baptista Leite, que partilhou algumas das suas preocupações relacionados com o tema da saúde, tais como, o estado atual da Covid-19 em Portugal, todas as doenças que ficaram por diagnosticar nestes dois anos de pandemia e como o Estado lidou com toda esta situação relativa à Pandemia.

A atual comissão política do PSD de Alcochete, é a única força política com credibilidade no concelho de Alcochete, em alternativa ao marasmo dos consecutivos executivos das esquerdas. Somos sem quaisquer complexos Sociais-Democratas, um espectro político que abrange desde a esquerda moderada, ao Centro-Direita, Liberais e Conservadores, integramos uma Direita Social, interclassista, sem dogmas, virada para o diálogo, para as pessoas. Onde é espelhado o legado de Olof Palme, um legado que o falecido Exmo. Dr. Francisco Sá Carneiro tão estoicamente replicou no Portugal pós PREC. Esta força almeja ser uma opinião ativa nos órgãos locais, inclusiva dentro da sua diversidade, que conta ser parte da solução, mas sempre de uma forma acutilante no diálogo com as outras forças locais. A qualidade de vida dos munícipes do nosso concelho, e o seu bem estar social, são a nossa maior estratégia politica, inseridos num novo projeto de politica de porta à porta, de proximidade, para servir os munícipes. Em consonância com os nossos desígnios, inovamos mais uma vez, na forma de fazer política no concelho de Alcochete, com a iniciativa Sede Aberta, com periodicidade quinzenal, às quartas-feiras, a Sede está aberta aos simpatizantes, militantes e munícipes em geral, sempre com a presença de membros da Comissão Politica, para auscultação dos problemas da população, para os ouvirmos, aceitar as suas sugestões, as suas criticas construtivas. Esta iniciativa, felizmente correspondeu às expectativas, e tem contado com grande adesão de simpatizantes do PSD, que inclusive, têm feito questão de tornarem-se militantes, além de percursora, o PSD é a única força politica no concelho de Alcochete, com esta abertura aos seus munícipes. Num sentido figurado, a equipa do PSD de Alcochete, pretende ser a sua semente, que poderá colocar na nossa Terra, para num futuro próximo, recolher os devidos frutos, de uma nova forma de gestão da coisa pública, de todos e para todos. O concelho de Alcochete, não é obrigado à estagnação, porque sempre foi assim, entre a alternância nas esquerdas, o caminho neste mandato bianual terá muitos obstáculos, isso é certo, mas o mesmo faz-se caminhando, as novas gerações millennial, espelham o nosso inconformismo, quantos projetos, negócios, empresas, associações, iniciativas privadas que estavam condenadas ao fracasso, pelo habituais velhos do Restelo, hoje são forças activas e pujantes, com lucro, mérito dos seus promotores e do empreendedorismo local. Desconfie dos que pronunciam sempre o que quer ouvir, não seja mais um no rebanho, ouse ser diferente, não viva com preconceitos por pensar diferente, ouse ser o (H)omem que se mantém de pé, quando todos os outros se vergam. Contamos consigo, com o seu apoio, todos somos o PSD do Concelho de Alcochete!

Passados 7 anos da vitória do Exmo. Sr. Dr. Pedro Passos Coelho nas últimas eleições Legislativas, mesmo com uma governação diminuta de autonomia, devido às restrições implícitas pela supervisão da Troika, consequência da (des)governação Socialista, o Exmo. Sr. Dr. António Costa não satisfeito com o golpe de estado interno, ao Exmo. Sr. Dr. António José Seguro, perde as eleições legislativas (2015), e ainda assim, se alcandorou ao poder, na maior jogada política do Portugal democrático. Levando o País, e os Portugueses, ao marasmo atual, onde se encontra a economia Portuguesa. É do senso comum, que infelizmente o País não se encontra melhor, após a solução governativa do partido Socialista (Geringonça), apraz relembrar, que numa Comunidade Europeia a 27, somente na Península Ibérica, existem Governos do partido Socialista, ou apoiados por partidos de índole marxista, incluíndo os países da antiga cortina de ferro, a Leste. É imperativo colocar os nomes nas coisas, o PCP é um partido anacrónico, com uma visão isolacionista para o país, e sem qualquer sinal de mudança, facto. Assistir ao Exmo. Dr. João Oliveira, defender nas últimas eleições legislativas, o programa eleitoral do PCP, onde constavam: a saída de Portugal da Nato, a sua dissolução, a saída da Comunidade Europeia, e o regresso à moeda própria (Escudo), tentando escamotear o que seria o seu impacto catastrófico na Economia Portuguesa, e a regressão da qualidade de vida conquistada pelos Portugueses, é extremamente grave. Como as últimas tomadas de posição do PCP, no conflito no Leste Europeu, a proposta do PCP para o País, é a de ser oposição a todos os Estados que partilham os valores da Democracia, abandonar e ser oposição aos nossos velhos aliados e parceiros Ocidentais, é abandonar toda a cadeia de valores e liberdades, que representam os Estados Europeus, como um farol para um mundo melhor!

O Serviço Nacional de Saúde morreu nas mãos fofinhas da esquerda, não morreu nas garras hediondas da terrível direita. Esta morte, sublinhada pelas demissões em bloco de médicos e concelhos de Administração, ainda na semana corrente, nas Caldas da Rainha, confirma mais uma vez a mentira que vivemos nos últimos sete anos. A austeridade não acabou. Na verdade, a austeridade à Costa, as cativações corroeram  o SNS nos últimos sete anos. Cabe ao PSD responder às necessidades, às inquietudes das pessoas, denunciando a austeridade “directa” do primeiro-ministro que se manifesta num aperto diário na vida das pessoas.                                                        

Foi com imenso orgulho, que aceitei o convite a mim endereçado pelo Exmo. Sr. Dr. Paulo Ribeiro, Presidente da Comissão Política Distrital do PSD, para ser mandatário da Candidatura do Exmo. Sr. Dr. Luís Montenegro, à presidência do PSD, é minha plena convicção, que o Dr. Luís Montenegro é melhor para o País, e para o PSD! Para o Dr. Luís Montenegro é tempo de o PSD fazer uma oposição aguerrida, com energia na comunicação, na vigilância ao governo Socialista, pois o orçamento de Estado de 2022, contém ainda mais captação de receita, que o anterior orçamento chumbado, que levou à queda do executivo, ou seja, mais captação de impostos. Em nome do rigor, tem que se imiscuir o Exmo. Sr. Dr. Fernando Medina, como o pai do mesmo, mas sim o Exmo. Sr. Dr. João Leão, que abandona o executivo, para gerir um novo “projecto” financiado pelo orçamento de Estado, que o mesmo ajudou a preparar. O governo já vai no sétimo orçamento e os resultados são nulos, somos o 21º país no ranking do PIB per capita, um orçamento que forçosamente vai dar lugar a um retificativo, mas quais as expectativas num executivo de 17 Ministros, em que 14 nunca trabalharam no sector privado, que inclui os irmãos Mendes (Setúbal), e a Exm.a Dr.ª Mariana Vieira da Silva como número 2, cujo o primeiro emprego, foi ser ministra no anterior executivo do Dr. António Costa, onde era colega do Pai, o Exmo. Dr. Pedro Nuno Santos e o seu brinquedo TAP, que perde 4,3 milhoes de euros por dia, foi publicamente corrigido pelo atual Ministro das Finanças, que foi premiado com o cargo, depois de ser de forma categórica, rejeitado pela Capital, e ter enviado informações sensíveis de opositores, 27 vezes á Federação Russa, “temos que escolher como o melhor modelo para a TAP, a sua Privatização”.

Depois de anos de uma retórica falaciosa, pondo em segundo plano o interesse nacional, de ataques diários ao Dr. Pedro Passos Coelho, o único que conseguiu privatizar a empresa, a difamação constante do bom nome do PSD, pois agora o Partido Socialista, reconhece efetivamente que o PSD sempre teve razão! O PSD, e os milhões de euros dos impostos dos contribuintes Portugueses, que foram depositados no seu poço sem fundo, exigem um inequívoco pedido de desculpas?


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário