Setúbal

AMBIENTE – Petição apela à defesa da Reserva Natural do Estuário do Sado

Uma petição pela defesa da Reserva Natural do Estuário do Sado foi recentemente criada e conta já com perto de mil assinaturas.

A autora da petição, que se assume «sem filiação partidária nem interesses sobre qualquer negocio, movendo-a apenas a protecção e preservação do rio, da serra e da cidade onde cresceu e foi feliz», apela ao Presidente da República e ao Governo para que «travem esta intervenção no rio Sado, em defesa uma Reserva Natural que se quer protegida. Porque se esta dragagem acontecer, no final não vai sobrar nada.»

Em causa estão as dragagens que o ministério do Mar aprovou e que irão permitir criar um porto de águas profundas na zona do actual Porto de Setúbal.

Segundo o documento «com as obras de dragagem para alargamento e aprofundamento do canal de navegação do Porto de Setúbal, para permitir a circulação de navios de maior calado, prevê-se o deslocamento de 6 500 000 de metros cúbicos de areia do leito do rio, colocando a Reserva Natural do Estuário do Sado, e toda a sua fauna e flora, em perigo».

A petição alerta ainda para o facto de «a Reserva Natural do Estuário do Sado ocupa uma área total de 23.160 hectares, e foi criada pelo Decreto-Lei nº 430/80, de 1 de Outubro, visando fundamentalmente assegurar a manutenção da vocação natural do estuário, o desenvolvimento de atividades compatíveis com o equilíbrio do ecossistema estuarino, a correcta exploração dos recursos, a defesa de valores de ordem cultural ou científica, bem como a promoção do recreio ao ar livre.»

Esta sexta-feira o Tribunal Administrativo e Fiscal de Almada indeferiu a pretensão do Clube da Arrábida, que pretendia a suspensão das obras, tal como noticiou o Diário do Distrito.



Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.