AlmadaDestaque

Almada reduz o IMI em 2023

- publicidade -

A Câmara Municipal de Almada aprovou na sua Reunião Extraordinária a dia 5 de dezembro, a redução do IMI em 0,01%, o que significa que em 2023, os residentes almadenses pagarão 0,35% do Imposto Municipal de Imóveis, invés dos 0,36% que pagaram em 2022.

Esta ação, surge numa série de medidas que terão como objetivo ajudar os agregados familiares e os jovens almadenses a terem mais poder de compra dentro do seu município, tal como a presidente da Autarquia, Inês de Medeiros afirmou.

Inês de Medeiros realça que esta decisão da autarquia almadense representará uma perda de 900 mil euros em receitas sobre o IMI para o município. No entanto, a CMA, prevê que receberá cerca de 31 milhões de euros com esta medida, algo que a presidente refere que é um parecer positivo financeiramente, tendo em conta às receitas dos anos anteriores sobre este imposto para autarquia almadense.

Esta redução do IMI, parece surgir em base da aprovação do maior orçamento da história de sempre da CMA, na ordem dos 161 milhões de euros, que ascenderá a 203 milhões com a colaboração com o SMAS.

Desta forma, a autarquia almadense pretende melhorar a qualidade de vida habitacional dos seus munícipes em 2023, após um ano em que os preços sobre os bens essenciais dispararam.

Do mesmo modo, a presidente Inês de Medeiros, referiu que a Câmara Municipal de Almada, irá melhorar os apoios financeiros ao arrendamento, com um fortalecimento do plano Almada Solidária, que tal como a presidente da autarquia almadense realçou “que foi muito importante e eficaz na altura pandémica”.

Em 2023, este novo plano de apoio arrendatário “não terá que ser feito apenas e exclusivamente pela Segurança Social, estamos justamente a redefinir esse apoio de forma a abranger mais famílias e jovens almadenses, que possam estar numa situação de incapacitação de pagamento de rendas.”, tal como foi afirmado por Inês de Medeiros face a implementação das novas medidas de apoio aos munícipes.

A Câmara Municipal de Almada, discutiu igualmente na reunião a importância das suas Juntas de Freguesias, nas suas áreas de abrangência, referindo ainda que “as juntas precisam de ter algum património e algum espaço próprio, para exercerem as suas competências”, a presidente da CMA, acrescentou ainda “para conseguirem exercer as suas competências, precisam de mais pessoal qualificado qualificadas para assumir para gerir e assumir novas responsabilidades, no entanto isto representa um aumento dos custos salariais.”.

A Autarquia Almadense, apresentou os seus planos de investimento e aquisições para 2023, como por exemplo a construção do Agroparque, uma infraestrutura que pretende criar uma dicotomia entre a agricultura e pesca na Costa da Caparica, criando no processo uma marca própria dos dois maiores produtores da economia, e dinamizando assim a oferta cultural e social da 2ª cidade de Almada.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *