Parceiros
AlmadaAtualidadeDestaqueDistritoSeixalSetúbal

Almada e Seixal lideram queixas à APAV no distrito de Setúbal

- publicidade -

A APAV divulgou hoje as Estatísticas APAV – Relatório Anual 2021, com os dados estatísticos referentes aos processos de apoio desenvolvidos presencialmente, por telefone e online, no ano transato, pelos 75 serviços de proximidade da APAV.

No ano transacto, a APAV apoiou diretamente 15.617 pessoas, de um total de 75.445 atendimentos nos vários serviços de proximidade (Gabinetes de Apoio à Vítima, Equipas Móveis de Apoio à Vítima, Polos de Atendimento em Itinerância, Sub-Redes Especializadas e Casas de Abrigo, Sistema Integrado de Apoio à Distância e Linha Internet Segura).

Durante este ano a APAV atendeu, por semana, uma média de 175 mulheres, 38 crianças, 35 homens e 31 pessoas idosas.

A APAV apoiou vítimas de 286 municípios dos 308 existentes (93% do território nacional), numa média de 37 vítimas por dia.

No distrito de Setúbal, os concelhos de Almada com 214 queixas, e do Seixal, com 151, são os que registam maior número de queixas, o que se explica por serem os concelhos com mais população.

Seguem-se Setúbal, com 181 queixas; Barreiro com 91 queixas; Palmela com 84 queixas; Montijo um total de 71 queixas e Moita registou 67 queixas.

Os concelhos com menos queixas foram Sesimbra, onde se registaram 39 queixas; Alcochete, com 19 queixas; Santiago do Cacém, com 17 queixas; Alcácer do Sal, com 5 queixas; Grândola com 7 queixas e Sines, que registou 6 queixas.

A APAV registou um total de 25.838 crimes e outras formas de violência e promoveu 1.018 ações de formação e sensibilização (47% destinadas a crianças e jovens).

A violência doméstica foi o crime com mais queixas, num total de 19.846 (76,8); seguindo-se os crimes sexuais contra crianças, com 1.416 (5,5%), e as ofensas à integridade física 649 (2,5%) logo seguida das ameaças e coação, com 646 queixas (2,5%).

As outras queixas foram: 585 difamação/injurias; 394 discriminação e incitamento ao ódio e à violência; 294 crimes sexuais contra adultos; 253 perseguição/stalking; 170 burla e 159 por sextortion.

A grande maioria das queixas foram feitas pelas vítimas, num total de 57,6%.

Relativamente ao início destes serviços, o atendimento teve um aumento na ordem dos 113% desde 2016, e no ano de 2021, entre todos os crimes e outras situações de violência registadas pelos vários Serviços de Proximidade da APAV, os crimes contra as pessoas representam mais de 90% do total.

A APAV presta apoio gratuito, confidencial e especializado a vítimas de todos os crimes, e está disponível através de uma rede nacional de Gabinetes de Apoio à Vítima, presente em muitas das principais cidades do país.

- publicidade -

A Linha de Apoio à Vítima, 116 006, está disponível de segunda a sexta, entre as 8h00 e as 22h00.

A Linha Internet Segura está disponível através do 800 21 90 90, de segunda a sexta, entre as 8h e as 22h, e do e-mail linhainternetsegura@apav.pt.

A APAV está também presente nas principais redes sociais, como o Facebook e o Instagram.


Sondagem | Tem condições para acolher refugiados ucranianos em sua casa?
VOTE AQUI!
Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Escreva um comentário