AlmadaCosta da Caparica

Almada e Caparica zonas arco-íris para viver

- publicidade -

A zona do Príncipe Real, em Lisboa, continua a ser a preferida desde há muito pela comunidade LGBTI+ para viver. Ainda assim, há outros locais a destacar-se no mapa dos bairros inclusivos mais procurados para comprar ou arrendar casa na Grande Lisboa – a tendência acentuou-se na pandemia e veio para ficar. As atenções estão voltadas, também, para a margem sul, nomeadamente Almada e Caparica.

João Passos, responsável pelo projeto “Lisboa Pride – Homes for Everyone” , presidente da Variações e também consultor imobiliário na Remax há vários anos, confirmou em entrevista ao site Idealista que desde o ano passado a Margem Sul surge como um destino com especial interesse.

A pouca distância de Lisboa, Almada e Costa da Caparica assumem-se como zonas emergentes, caracterizadas pela proximidade às praias. “O sonho de ter uma casa no campo ou na praia é cada vez mais tornado realidade, tanto por nacionais como por estrangeiros, motivados pela procura de um certo retorno às origens e a um estilo de vida mais sustentável, apoiado nas novas possibilidades de trabalho remoto”, explica João Passos.

Na União das Freguesias da Trafaria e Caparica, por exemplo, no mercado de compra e venda, a tendência de preços de mercado foi de valorização nos últimos anos. No mercado de arrendamento, e apesar de algum arrefecimento verificado entre 2020 e 2021, verificou-se também nos últimos anos um acréscimo de preços em praticamente todas as tipologias.

Na União das Freguesias de Almada, Cova da Piedade, Pragal e Cacilhas, e salvo ligeiras quedas de preços verificadas entre 2020 e 2021, é possível afirmar que, numa perspetiva total do mercado, a tendência dos últimos quatro anos foi de aumento generalizado dos preços. Esse crescimento foi mais notório no mercado de compra e venda do que no de arrendamento. No último ano, por exemplo, os preços globais para o mercado residencial aumentaram 18%.

Nesta freguesia, a procura relativa caiu em ambos os mercados (venda e arrendamento) entre 2019 e 2020. A tendência deste indicador manteve-se no período seguinte no mercado de arrendamento (-47%), recuperando no último ano. Já no mercado de compra e venda verificou-se no último ano algum arrefecimento da procura (-3%). Relativamente ao indicador da oferta, importa referir a queda de stock disponível neste último ano em ambos os mercados: -38% no mercado de compra e venda e -45,5% no de arrendamento.

João Passos considera que o apetite por estas zonas mantém-se e acredita até que tem tendência a aumentar. “Seja nos centros mais urbanos, para uma comunidade mais nacional e mais jovem, seja junto à praias, para um segmento mais internacional e mais adulto, numa perspetiva de reforma ou investimento”, conclui.

O que é a LisboaPride?

A LisboaPride tem como foco celebrar a diversidade, distinguindo-se como especialista no mercado imobiliário em prestar o melhor serviço para a comunidade LGBTI+. Para muitas pessoas desta comunidade, a procura de casa é um processo especialmente complicado, entre ter que esconder a sua realidade e o receio de não ser aceite do outro lado. A sua participação no processo ajuda a mitigar esses receios e garantir uma maior segurança. A LisboaPride é neste momento “the portuguese LGBTQI+ real estate brand”, uma referência na comunidade, patrocinadora de eventos para a comunidade como os Prémios Arco-Íris, o Arraial Pride de Lisboa, o Festival Internacional de Cinema Queer Lisboa, o concurso Miss Drag Lisboa e o Lisbon Bear Pride, da equipa de Futsal Lisbon Foxes e membro de associações como a Variações – Associação de Comércio e Turismo LGBTI+ de Portugal e a BJWHF Sports Club.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *