AlmadaDestaqueSociedade

Almada aprova o maior orçamento na sua história para 2023

- publicidade -

A Câmara Municipal de Almada aprovou na reunião extraordinária de dia 5 de dezembro, o orçamento de 2023, que consistirá numa forma inicial de um investimento de 161 milhões de euros, que em colaboração com os SMAS (Serviços Municipalizados de Água e Saneamento de Almada) chegará aos 203 milhões de euros, tal como foi afirmado pela presidente da CMA, Inês de Medeiros.

O orçamento de 2023 da CMA, será o maior de sempre para o município, algo que a própria presidente mencionou fazendo um balanço da sua ação ao leme de Almada, “em 2018 começamos com um orçamento inicial na ordem dos 90,2 milhões, e em 2023 teremos um orçamento inicial, sem aplicação do saldo de gerência, na ordem dos 161 milhões de euros.”.

No entanto, Inês de Medeiros ressalva que com o aumento do orçamento as despesas também aumentarão, visto que o aumento dos preços generalizados tais como a água e a eletricidade poderão provocar no próximo ano um aumento significativo nas despesas dos almadenses.

Ainda assim a presidente da autarquia, garante que “uma parte significativa desta verba prende-se com o PRR, e com os novos planos de fundos e investimentos”, garantindo assim à população almadense, que apesar do aumento dos preços, a CMA irá continuar a investir em projetos, tais como o Agroparque da Costa da Caparica, a melhoria da oferta da Carris Metropolitana, e a aquisição de bens em prol do programa Parque Habitacional.

Uma parte da despesa prevista da Câmara Municipal de Almada, será na requalificação e contratação de trabalhadores especializados nas suas áreas, de forma a aumentar a oferta de serviços municipais á sua população.

A presidente reforça ainda que “Almada tinha um índice muito baixo de técnicos superiores e especializados nos seus serviços, por isso é fundamental poder reforçar também essas equipas” e que “iremos aumentar os técnicos especializados nos nossos setores ambientais, urbanísticos, obras, e secretaria geral, e continuaremos a fazer este esforço.”.

Igualmente, fazem parte das despesas para 2023, 24% de aumento nas transferências correntes face a 2022, influenciado pelos aumentos previstos para as Juntas de Freguesia, de forma a dinamizar as ações das mesmas nas suas freguesias.

Em 2023, a Câmara Municipal de Almada, terá como maior fonte de receita os impostos diretos, que resulta em 40%, e as transferências correntes, que resulta em 27%, por outro lado o Município Almadenses, terá como menor fonte de receita as taxas, multas e penalidades, que resulta em 5%, e os rendimentos de propriedade que contribuirão com 2%.

As restantes fontes de rendimento da CMA, serão as transferências de capitais e venda de bem e serviços correntes, que contribuem ambas com 10%, e os passivos financeiros, que resulta em 6% da receita total.

A CMA durante a reunião discutiu ainda o não pagamento de portagens da ponte 25 de abril para os seus munícipes, a redução do IMI de 0,01% para a sua população, e ainda o plano de apoios ao arrendamento.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *