Parceiros
AlmadaAtualidadePolíticaSolidariedade

Almada | António Costa anuncia em Almada “o maior investimento de sempre em equipamentos sociais”

Foram anunciadas dia 8 de Julho, no Fórum Romeu Correia, as instituições do 4º setor que vão beneficiar dos 700 milhões de euros de investimento público previstos como parte do PRR.

O primeiro-ministro afirmou esta na sexta-feira passada estar em curso um investimento público na ordem dos 700 milhões de euros em equipamentos sociais e, defendeu a via escolhida pelo Governo na execução do Plano de Recuperação e Resiliência (PRR).


António Costa falava em Almada, no encerramento de uma sessão de divulgação de projectos de requalificação e alargamento da rede de equipamentos sociais e, respostas sociais no âmbito do PRR e do programa PARES 3.0.

Na sua intervenção, o primeiro-ministro considerou que se está atcAnaualmente perante “o maior investimento alguma vez realizado em equipamentos sociais” e destacou a ação da sua ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, também presente na cerimónia, que contou ainda com a presença da ministra da Presidência, Mariana Vieira da Silva e da Presidente da Câmara de Almada, Inês de Medeiros. O elogio estendeu-se ao facto de nesta mesma data se ter procedido apenas ao pagamento retroactivo das pensões mais baixas e, por se ter iniciado a discussão parlamentar da Agenda para o Trabalho Digno.

Ao que afirmou António Costa, estão envolvidas neste novo programa “mais de 400 entidades de todo o país” em projectos para equipamentos novos, ou recuperação de equipamentos, em aéreas como creches, lugares para idosos ou pessoas com deficiência.

“São 700 milhões de euros o total de investimento público, ao qual acresce o investimento que o sector solidário e social também mobiliza. Só neste primeiro conjunto de contratos que aqui foram entregues no âmbito do PARES, relativamente a idosos, para um investimento público de 234 milhões de euros, temos um investimento total de 394 milhões de euros mobilizados pelo conjunto da sociedade civil, pelo conjunto do sector social e solidário”, realçou.

Neste contexto, o primeiro-ministro considerou que os 700 milhões de euros de investimento total “terão um efeito multiplicador elevado” e deu uma resposta política aos sectores críticos da forma como o PRR nacional foi concebido.

António Costa afirmou ainda que “estão aqui hoje em Almada mais de 100 instituições com contratos já consolidados, entregues e, a partir de agora, vão poder começar a utilizar estes recursos disponibilizados pelo PARES ou pelo PRR. As instituições não vão receber este dinheiro para si, mas para investirem em mais lugares de equipamento e na requalificação desses lugares”.

António Costa procurou ainda frisar que este programa tem “58 mil pessoas concretas que vão beneficiar deles, desde crianças, pessoas com deficiências e idosos”. Ana Mendes Godinho, ministra do Trabalho, da Solidariedade e Segurança Social sublinhou “o orgulho e o entusiasmo de ver esta sala cheia de pessoas que têm estado na linha da frente ao serviço dos outros, colocando a vida dos outros em primeiro lugar face às vossas próprias vidas”.

Deixou, por isso, uma mensagem de “profundo agradecimento. É graças a vós, a todos os que trabalham no sector social, que tem sido possível esta resposta de emergência extraordinária, atípica que nos levou a reinventar-nos, trabalhando ao serviço dos outros”.

Este programa – Requalificação e Alargamento da Rede de Equipamentos e Respostas Sociais – nasceu enquadrado na Nova Geração de Equipamentos e Respostas Sociais, uma das muitas faces do Programa de Recuperação e Resiliência (PRR). A medida tem como objectivo reforçar, adaptar, requalificar e inovar as respostas sociais dirigidas às crianças, pessoas idosas, pessoas com deficiência ou incapacidades e às suas famílias.

Para além desses objectivos imediatos e mais palpáveis, a Requalificação e Alargamento da Rede de Equipamentos e Respostas Sociais assume uma outra relevância, porque contribui para a promoção da natalidade, do envelhecimento activo e saudável, da inclusão e promoção da autonomia e da conciliação entre a actividade profissional e a vida pessoal e familiar e a coesão social e territorial.

Almada, no âmbito do PRR, conta já nesta primeira fase com dois projetos, da FCT-NOVA e do Centro Paroquial Padre Ricardo Gameiro, este último que tem também um projeto integrado no Programa PARES.


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.