Alcochete 2021AtualidadePolíticaReportagem

Alcochete: tomada de posse com promessas de “visão e tradição”

- publicidade -

Em Alcochete, a Câmara Municipal convidou os municípes a assistirem à tomada de posse dos novos órgãos autárquicos, com uma sessão solene que decorreu no espaço público, mesmo em frente ao edifício da Autarquia.

O Largo de São João encheu-se de convidados, entidades e demais cidadãos que quiseram acompanhar o ato, que a Autarquia fez questão de partilhar online via streaming, através do seu canal no YouTube.

De recordar nas últimas eleições autárquicas de 26 de setembro, o Partido Socialista viu reforçada a sua liderança nos destinos de Alcochete, tendo Fernando Pinto conquistado uma votação superior ao ato eleitoral de 2017.

Para além da tomada de posse dos novos eleitos, na cerimónia presidida por Mário Catalão Boieiro, presidente da Assembleia Municipal de Alcochete, foi ainda votada a mesa da Assembleia para o presente mandato. A proposta apresentada pelo Partido Socialista, mantém na liderança deste órgão, Mário Catalão Boieiro, secretariado por Carlos Correia e Teresa Rei: a presente lista acabaria por ser aprovada com 19 votos a favor e 5 abstenções.

Ao discursar perante um Largo de São João cheio, Mário Catalão Boieiro prometeu uma “Assembleia mais apelativa e mais próxima dos cidadãos”, evidenciando “a defesa pelas condições de vida das populações”, e a defesa pela sua terra.

O reeleito Presidente da Assembleia lembrou que “a política é uma ciência, sendo função dos políticos autárquicos identificar os problemas e necessidades dos seus municípes”, o que faz com que não caiba nesta definição, “a defesa e os interesses pessoais”.

Mário Boieiro frisou que o maior desafio será “a resolução do problema de habitação para os filhos dos residentes, sem que estes tenham de procurar outras regiões para viver, devido aos altos preços praticados”. O Autarca sublinhou ainda a “qualidade de vida” existente no concelho e que “todos desfrutam”, e que frisou querer “defender, não apenas por respeito aos municípes, mas também pelo que é deixado para o futuro aos nossos filhos, sem que nada nos envergonhe”.

Por seu lado, o “renovado” presidente da Câmara Municipal de Alcochete, Fernando Pinto, disse que neste mandato, a ideia é “continuar a trabalhar na concretização do nosso projeto político”… um projeto que evidenciou “ser para as pessoas, e que envolve as demais instituições públicas e privadas”. Um projeto que segundo explicou “assenta nos pilares estruturantes e estratégicos, como a participação e cidadania, a educação e formação, a economia, o turismo, investimento e emprego, desenvolvimento, coesão social e saúde, cultura e movimento associativo, juventude e desporto, segurança e protecção civil, mobilidade e transportes, ambiente, território e reabilitação urbana, e relacionamento com o cidadão, com as instituições, e funcionamento interno da autarquia”.

Com a expressão “o que não nos mata, torna-nos mais fortes”, o socialista Fernando Pinto mostrou-se consciente de que o “desafio será difícil, mas tão gratificante”, e deixou a promessa que “com visão e tradição”, poder governar, e “fazer acontecer”

O reeleito presidente frisou que a vila de “Alcochete é de todos, feita para todos, e com todos a servir a causa pública”, como num “ato de elevada cidadania, a participar no desenvolvimento de um concelho melhor”.

A rematar, Fernando Pinto lembrou que este mandato “será mais uma etapa de um novo ciclo político”, aos presentes partihou a intenção de “afirmar a marca Alcochete”… “dignificando os nossos antepassados, e construindo no presente, o futuro que todos ambicionamos para esta magnífica pérola do Tejo”.

- publicidade -


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo