Destaque

Alcochete quer mais vigilância e fiscalização nos mariscadores

Episódios de violência entre mariscadores está a preocupar autarcas de Alcochete

Depois dos últimos acontecimentos na zona ribeirinha de Alcochete, a Câmara Municipal em reunião pública, aprovou esta quarta-feira uma moção onde exige maior vigilância, fiscalização e atuação por parte das autoridades competentes na questão dos mariscadores e apanha ilegal de amêijoa no Rio Tejo.

Em comunicado, a autarquia alcochetana avança que a atividade tem provocado problemas de segurança no concelho, problemas esses que são verificados na zona ribeirinha da vila de Alcochete e na Vila do Samouco.


A Câmara de Alcochete quer mais reforço de efetivos operacionais para o posto da GNR de Alcochete e maior vigilância, fiscalização e atuação por parte da Polícia Marítima, sendo que a vila de Alcochete não está equipada com nenhum posto desta autoridade e que detém uma área de cerca de 6 quilómetros de zona ribeirinha.

Fernando Pinto, presidente da Câmara de Alcochete avançou esta quarta-feira que das competências e meios da autarquia tudo tem sido feito “tudo temos feito e continuaremos a fazer, sempre com o sabor amargo da falta de resultados, e muitas vezes, também de respostas”, lembrou ainda as diligências que tem sido feitas por parte da autarquia junto das entidades e autoridades competentes para que o problema seja resolvido.

Para o edil, é importante que as pessoas que visitam Alcochete não vejam situações como a que testemunharam na semana passada: “De forma alguma nos queremos habituar a situações de perturbação da ordem pública, a presenciar troca de roupa na via pública com episódios de nudez, provocações a transeuntes, consumo de álcool, desacatos, pancadaria, poluição da via pública, praias e rio, entre outras situações que atentam contra a boa convivência em comunidade e civismo”, explicou.

A ausência de meios de segurança nas ruas da vila é uma constante, a Câmara Municipal de Alcochete quer mais ação por parte do Ministério da Administração Interna (MAI) para que possa colocar mais efetivos no Posto Territorial de Alcochete e meios logísticos, já por parte do Ministério da Defesa, o pedido é direcionado à Polícia Marítima, para que possa proceder com mais permanência na zona ribeirinha da vila, a fim de não haver episódios como os que ocorreram na última semana.

Ler ainda: Alcochete | Cinco feridos após desacatos entre mariscadores


Sabia que o Diário do Distrito também já está no Telegram? Subscreva o canal.
Já viu os nossos novos vídeos/reportagens em parceria com a CNN no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!
Siga-nos na nossa página no Facebook! Veja os diretos que realizamos no seu distrito
Siga-nos no Feedly, carregue em seguir (follow)


Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado.