Opinião

Alcochete no seu regresso ao futuro…

- publicidade -

Nesta última terça feira, o anúncio público da recandidatura de Luís Miguel Carraça Franco à presidência da Câmara Municipal de Alcochete rasgou um novo e auspicioso horizonte de esperança no futuro para quem nasceu e para quem escolheu esta terra de encantos únicos para viver.

Culminando um processo de aturada e ampla auscultação junto das suas estruturas políticas locais e sobretudo junto da população e das forças vivas do concelho, a CDU reabre o caminho do futuro e volta a oferecer uma solução da máxima qualidade para a gestão do município, que Alcochete reclama e merece.

Com a recandidatura de “Luis Franco”, Alcochete poderá retomar o caminho do progresso interrompido por uma ignóbil lei que limita artificialmente os mandatos dos autarcas (e só os destes…) e que retira às populações a natural escolha democrática de poder continuar a confiar o seu voto a quem dá provas de capacidade, competência, honestidade e de visão estratégica para o desenvolvimento sustentado do território.

Sublinhe-se que “Luis Franco” presidiu com inigualável brilhantismo à Câmara Municipal de Alcochete entre 2005 e 2017, durante a mais grave crise nacional e internacional da nossa democracia, nos domínios financeiro, económico e social. Não obstante, realizou uma obra notável, construindo alicerces e rasgando horizontes, honrando, prestigiando e ampliando o legado autárquico único da CDU, na boa tradição de trabalho, honestidade e competência já anteriormente corporizada pelos presidentes Constantino Pinto Rodrigues e sobretudo por Miguel Boieiro.

Com a sua recandidatura, Luis Miguel Carraça Franco, certamente ladeado de uma forte e renovada equipa, cumprirá o seu “desígnio pessoal” e um imperativo histórico, pondo termo aos desmandos destes últimos 3 anos que mergulharam o município de Alcochete num ciclo de profundo declínio, derrotando, mais uma vez e tal qual o fez em 2005, a política das clientelas partidárias, da propaganda desmesurada e da gestão dos grandes interesses económico- imobiliários, derrotando mais uma vez o PS, derrotando “Fernando e Vasco Pinto”, tal como outrora derrotara copiosamente “José Inocêncio”.

O panorama que ora se abre, de regresso ao futuro, já no final do presente ano, e a confirmação pública da recandidatura de “Luis Franco”, trouxe às nossas vidas, no meio da imensa escuridão sanitária que atravessamos, uma nova e resplandecente luz, que gerou já uma gigante e imparável onda de entusiasmo junto da população do concelho.

Entusiasmo que se alicerça na perspetiva de poder voltar a ter à frente dos destinos do nosso Município uma liderança prestigiada, local, regional e nacionalmente, um líder experimentado, bem preparado e com provas dadas, um Presidente com visão estratégica e de futuro, colocando o concelho sempre acima dos demais interesses, uma presidência de proximidade, sensível ao pulsar popular e acessível a todos quantos queiram engrandecer e valorizar Alcochete em toda a sua dimensão cultural e identitária, em toda a sua extensão territorial, urbana, periurbana e rural.

Com “Luis Franco” de novo ao leme do município de Alcochete deixaremos de viver um concelho adiado por uma gestão assente numa realidade virtual distorcida e ficcionada pelos posts, comunicados, mensagens e vídeos da extensa e dispendiosa propaganda do atual executivo camarário PS/CDS, que visa esconder a incúria e a incapacidade de quem desgoverna o município ao sabor dos ventos, ajoelhados perante os interesses pessoais, políticos e económicos que campeiam e que se apoderaram da Câmara Municipal.

Propaganda que visa esconder como a atual maioria camarária, dirigida por “Fernando e Vasco Pinto”, se limitou nestes últimos 3 anos quase que tão somente a realizar de forma atabalhoada, mal, tarde e a más horas (vejam-se os casos grotescos do Miradouro Amália Rodrigues e os arranjos na Coophabital), a carteira de obras deixadas projetadas, aprovadas e financiadas pelo executivo anterior, tal como algumas intervenções correntes de manutenção em edifícios, equipamentos e infraestruturas contruídas, todas elas, pelos executivos anteriores da CDU.

Propaganda que visa esconder que, para além de terem aterrado fontes de água, desfigurado e empedrado largos, eliminado zonas pedonais, reduzido espaços verdes e abatido árvores em catadupa, encerrado o Albergue da Juventude, deixado “apodrecer” equipamentos desportivos como o Campo do Passil e degradar parte importante da rede viária, privatizado acessos à praia e concessionado serviços municipais essenciais… num mandato de 4 anos, não foram nem são capazes de construir nada de novo.

De novo, os atuais senhores da CM Alcochete não construíram uma única estrada, um único espaço verde ou ajardinado, não construíram um único equipamento desportivo ou de lazer, um único edifício ou equipamento escolar de raiz, não construíram ou promoveram a construção de uma única habitação de natureza social.

Não reduziram verdadeiramente os impostos municipais, para além da cosmética propagandística. Praticamente nenhum munícipe com casa própria viu o seu IMI reduzir palpavelmente. Nenhuma empresa nova empregadora se instalou neste mandato no concelho.

Para além do mais, os atuais dignatários, mesmo beneficiando duma conjuntura de cofres cheios, resultante também do equilíbrio financeiro e da dinâmica económica herdados, deixaram cair desgraçadamente projetos e candidaturas importantes recebidos também de bandeja do executivo anterior, tal como os parques urbanos ribeirinhos do Forno da cal e do Pinhal das Areias, a requalificação completa da entrada nascente entre o Freeport e o Largo da Feira, e voltaram a implementar uma política despesista que conduziu ao incremento do passivo (apesar de andarem agora, tal como em 2001-05, a tentar maquilhar as contas e a esconder dívida).

Pior! A atual maioria PS/CDS na CM Alcochete nunca foi capaz de defender os magnos interesses do concelho e nunca esteve à altura dos problemas mais complexos que assolam Alcochete. No que respeita à melhor localização do novo aeroporto ficaram sempre em cima do muro e sempre subjugados às diretrizes partidárias. Quanto à problemática dos ameijoeiros, tal como o governo com a depuradora no Barreiro, muito prometeram mas nada fizeram.

Em matéria de descentralização de competências vergaram sempre perante as imposições governamentais, mas a extensão do Centro de Saúde de S. Francisco continua fechada e as escolas dos 2.o e 3.o ciclos e secundário sem um mínimo de investimento na sua ampliação e modernização. Até na gestão da pandemia no concelho nunca fizeram a sua parte.

Atiram-se de dedo em riste contra os munícipes mas fiscalizar, articular, dinamizar a proteção civil…pouco ou nada.

Urge pôr termo a este terrível ciclo de declínio. Urge regressar ao futuro!

Por tudo isto, é com redobrado entusiasmo que a população do concelho de Alcochete acolhe a recandidatura de Luis Miguel Carraça Franco. Porque sabem que com ele e com a sua nova equipa o concelho voltará a ter uma visão e uma estratégia de futuro, apostando num desenvolvimento sustentado, na preservação do ambiente e na qualidade de vida das pessoas.

Porque os residentes em Alcochete têm a certeza de que com “Luis Franco” a Câmara Municipal vai voltar a investir na requalificação da frente ribeirinha e do espaço público em geral, investir na modernização e redimensionamento das infraestruturas básicas, como as do abastecimento de água e saneamento básico, como da rede vária, com aposta decisiva no pedonal e na ciclovia.

Porque com “Luis Franco” por certo que a promoção e apoio ao turismo, à cultura, ao desporto, à juventude, ao lazer, à terceira idade, às instituições locais de diversa índole…será algo verdadeiramente central e levado muito a sério.

Porque com “Luis Franco” o investimento na educação será de novo estrutural, com Centros Escolares integrados para a infância e 1.o ciclo nas Vilas de Alcochete e Samouco, e com intervenção enérgica junto do Ministério da Educação para que a c+s e a Secundária recebam os investimentos indispensáveis à sua extensão e modernização. Tal como na área da saúde e nos serviços públicos em geral (como os CTT), de modo a garantir uma cobertura mais abrangente das necessidades das populações.

Porque com “Luis Franco” por certo que a Câmara nunca vacilará na defesa dos interesses do Município face aos grandes interesses económicos e imobiliários, defenderá sempre como a melhor localização do novo aeroporto o CTA, como defenderá certamente e sempre as melhores soluções para os problemas estruturais do concelho, em diálogo firme e determinado com todas as entidades e agentes atuantes sob o território.

No meio de tanta incerteza e angústia decorrentes da maleita pandémica que inferniza a vida de todos nós, eis que o anúncio da recandidatura de Luis Miguel Carraça Franco à presidência da Câmara Municipal de Alcochete, muito embora já faça desesperar e tire manifestamente o sono a alguém…consubstancia uma notícia refrescante e representa um horizonte de esperança e de confiança pelo qual o nosso povo tanto ansiava.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui