Atualidade

Ainda usa o Internet Explorer? Despeça-se dele até 2022

- publicidade -

A Microsoft já anunciou o fim do Internet Explorer no mundo dos navegadores, 25 anos após a sua criação.

Muitos ainda são os que mantêm o IE, como é carinhosamente conhecido, mais por nostalgia, mas as gerações mais novas e quem procura outros métodos de pesquisa, já migrou para diferentes navegadores, como o Chrome da Google ou o Firefox.

Através de comunicado, a Microsoft anunciou que a carreira do Explorer terminará a 15 de junho de 2022, altura em que terminará o suporte a este navegador.

«Ao longo do último ano, podem já ter notado a nossa movimentação para lá do suporte ao Internet Explorer» refere a empresa no comunicado.

«O próximo passo da nossa jornada: anunciamos que o futuro do Internet Explorer no Windows 10 é no Microsoft Edge», o mais recente navegador desenvolvido pela tecnológica de Redmond, com a primeira versão apresentada em 2015.

De acordo com a Microsoft «a aplicação para desktop do Internet Explorer 11 vai ser descontinuada e o suporte será retirado a partir de 15 de junho de 2022, para certas versões do Windows 10».

A empresa deixa ainda a nota de que o processo de “reforma” do Explorer não afetará as aplicações Windows 10 LTSC ou Server Internet Explorer 11. Na prática, as versões para o consumidor comum do Windows deixarão de contar com este navegador.

Em 2010 o IE era o browser mais utilizado em todo o mundo, uma vez que vinha também instalado como aplicativo no sistema operativo do Windows, mas já nessa altura existiam vários ‘senão’ contra este navegador.

A começar pela falta de segurança que apresentava, sobretudo da sua versão 7 para baixo, porque o IE trabalha com o ActiveX e o Active Scripting, funções que permitem o acesso através de outros programas.


Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui