Abusos sexuais a menores: Denunciados uma dezena de casos em Portugal desde 2011

Conferência Episcopal Portuguesa (CEP) diz que em Portugal os números dos abusos sexuais a crianças e adolescentes "são reduzidos".

0
82

Em conferência de imprensa, o padre Manuel Barbosa, porta-voz da CEP, disse  em Fátima que “os casos tratados nos tribunais [da Igreja] onde chegam as denúncias são pouquíssimos”.

Destes, segundo Manuel Barbosa, em “mais de metade” a investigação parou “por falta de fundamento”.

O porta-voz da CEP reconheceu que “aqui ou ali” pode não ter existido a “devida investigação”, mas reiterou o objetivo de continuar “de forma clara e muito concreta”a erradicação deste “drama da Igreja”.

Manuel Barbosa disse ainda que desde 2011 foram denunciados cerca de uma dezena de casos, dos quais “já existem algumas decisões judiciais”.

Na mesma conferência de imprensa foi anunciado que o cardeal Manuel Clemente, patriarca de Lisboa, vai participar num encontro mundial no Vaticano a partir do dia 21 deste mês.

Esta cimeira de reflexão com os presidentes das Conferências Episcopais do mundo inteiro, pedido pelo Papa no ano passado, visa encontrar novas e mais eficazes orientações para as denúncias de abusos sexuais a crianças por padres e bispos católicos.

“Como o Papa diz, temos de ter tolerância zero neste drama”, afirmou Manuel Barbosa.

Recorde-se que a Igreja católica enfrentou no ano passado um novo escândalo de abusos sexuais a crianças e adolescentes.

Alguns dos casos mais graves e mais mediáticos aconteceram no Chile, em que o próprio Papa inicialmente duvidou das denúncias durante a sua viagem àquele país, tendo depois sido obrigado a demitir um bispo por encobrimento e abuso de menores.

No dia 14 de agosto, foi divulgado um relatório norte-americano que descrevia ao pormenor centenas de tipos de abusos sexuais (desde carícias, violações, ameaças e até coação a fazer abortos) e no qual se denunciava a forma como a Igreja tentou silenciar o escândalo.

Poucas semanas depois, o próprio Papa Francisco foi acusado por um bispo ex-embaixador da Santa Sé nos EUA de proteger e promover cardeais suspeitos de encobrir casos de violações a menores.

Neste seguimento, o Papa expulsou do colégio cardinalício um cardeal americano que não só encobriu como praticou os crimes e demitiu mais um padre e um bispo das suas funções.

A reunião no Vaticano com os líderes das Conferências Episcopais foi agendada pelo Papa no final do verão de 2018 e vai decorrer de 21 a 24 de fevereiro.

No voo de regresso da viagem à Arábia Saudita, na semana passada, Francisco pediu que se “baixassem as expectativas” sobre este encontro, admitindo que o problema dos abusos não vai ser fácil de ser erradicado.

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome