Aberta a consulta pública sobre o futuro Eco-Hotel Etosoto em Cabo Espichel

Está a partir de hoje em consulta pública o projecto promovido pela Câmara Municipal de Sesimbra para o eco-hotel ETOSOTO no Cabo Espichel, processo que decorrerá até 26 de Dezembro.

0
312
Imagem ilustrativa
Tempo de Leitura: < 1 minuto

Está a partir de hoje em consulta pública para o Estudo de Impacte Ambiental do projecto para o eco-hotel ETOSOTO no Cabo Espichel, processo que decorrerá até 26 de Dezembro, realizado pela empresa CISED – Consultores, Lda. para o promotor e dono e obra, a empresa ETOSOTO, LDA.

O Etosoto será composto por 58 cabanas para alojamento, de 3 tipos, perfazendo um total de 116 camas, e vários edifícios de apoio, nomeadamente: edifício da recepção e manutenção, SPA e piscinas, 2 edifícios para alojamento dos funcionários, edifício do salão de estar e restaurante, edifício de música e artes, edifício da sala de conferências e edifício de apoio agrícola.

A circulação entre os edifícios far-se-á pelos caminhos existentes, que serão reabilitados e por passadiços e os caminhos permanecerão em terra batida. A componente agrícola localiza-se parcialmente em Reserva Agrícola Nacional e ocupará uma área de cerca de 12 ha.

Este projecto irá nascer na antiga Quinta do Morley, no Cabo Espichel, que foram adquiridos pela empresa francesa Etosoto e o projecto é promovido pela Câmara Municipal de Sesimbra

A Quinta do Morley foi propriedade de António Xavier de Lima, que ali tentou construir uma grande urbanização na década de 1960, sendo ainda visíveis algumas das construções iniciadas e depois embargadas, já que se tratava de um loteamento ilegal.

Com 155 hectares, a Quinta desenvolve-se dos dois lados da estrada que leva ao Cabo: o referido loteamento de Xavier de Lima localizava-se a sul desta estrada, enquanto que o hotel que a Etosoto pretende construir se situa a norte, na direcção da praia da Areia do Mastro (in Jornal O Sesimbrense).

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome