A vitória da população

Esta semana um artigo de opinião de Marlene Pires Abrantes

publicidade
Tempo de Leitura: 2 minutos

Em Maio deste ano, o Governo do Partido Socialista deu luz verde à Festa do Avante!, desde que cumprissem as normas da DGS, diante disto o Partido Comunista Português esfregou as mãos de contente e tratou de a organizar.

Dadas as circunstâncias de pandemia, a população por sua iniciativa arregaçou as mangas e tratou de resistir e reagir até ao último minuto contra a realização desta Festa partidária, apelando ao seu cancelamento, o que acabou por não acontecer. Por isso caro leitor, o que podemos concluir?

Que o povo é quem mais ordena desde que não seja contra o PCP, que colocou a saúde financeira do partido à frente da saúde da população e à frente da saúde do SNS. No decorrer deste tempo também a Juventude Popular e o CDS se manifestaram contra, dado o momento que o país está a atravessar, quando os pais não podem assistir ao nascimento dos filhos, visitas nos lares muito restritas e à distância, quando continuamos a ter mortes por Covid.

Neste sentido foi lançada uma petição levada a cabo pela Juventude Popular contra a realização da Festa, que levou a ameaças ao Presidente da Juventude Popular, passando pelo outdoor da Juventude Popular foi vandalizado em tempo record, de resto algo a que já estamos habituados… aos pseudo – democratas, àqueles que se acham donos da democracia desde que a democracia seja de partido único.

A Comissão Política Concelhia do CDS-PP emitiu um comunicado onde evidenciou que a Festa do Avante este ano era nociva para a população do Concelho e por fim e não menos importante, também o Presidente do CDS, Francisco Rodrigues dos Santos, não ficou indiferente e manifestou-se várias vezes contra, apelando ao bom senso.

Por todas estas demonstrações, há quem, no PCP ainda tente colar o CDS à colocação dos panos pretos à janela, ao encerramento dos estabelecimentos comerciais e à organização da marcha lenta, está a custar-lhe perceber que há mais vida para além da política. É evidente que saudamos todas estas iniciativas e que fomos e somos solidários com a população desde o primeiro minuto, e nem que viva mil anos o PCP será capaz de justificar o injustificável.

O resultado é que esta iniciativa foi um verdadeiro flop e lá se vai o slogan “assim se vê a força do PC”! Por isso um bem – haja a todos os envolvidos pela coragem e pela determinação nesta grande batalha pelo nosso concelho!

publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Insira o seu comentário
Nome