DestaqueEntrevistasSesimbra

A “Explicação da Gi” reajustou mensalidades para apoiar as famílias e alunos

Ana Gisela Claudino optou por reajustar as mensalidades para as crianças do 1º ciclo, medida esta que foi essencial para que muitos continuem a ter explicações via online.

- publicidade -

A época instável em que vivemos levou à saída de muitos alunos do apoio escolar, pois muitos encarregados de educação não têm possibilidades de pagar as mensalidades.

Mas a “Explicação da Gi”, situada na Quinta do Conde, é diferente. Ana Gisela Claudino optou por reajustar as mensalidades para as crianças do 1º ciclo, medida esta que foi essencial para que muitos continuem a ter explicações via online.

“Resolvi apostar neste projeto de apoio às famílias”

Esta é uma alternativa que poucos espaços/grupos de explicação e apoio escolar adotaram. “Mediante o panorama atual, e muito em concreto aqui na Quinta do Conde e arredores o desemprego aumentou, os Layoff’s vieram para ficar e os ordenados diminuíram para part-time. São muitas as circunstâncias que fazem com que os pais tenham redução nos seus vencimentos, mas que, de certa forma, se houvesse alguém que os ajudasse nesta questão de apoio escolar às crianças, de certeza que iriam aderir.

Sendo eu, uma pessoa sensível aos problemas financeiros e sociais das famílias, resolvi apostar neste projeto de apoio às famílias. Será para os alunos que agora iniciem connosco, do 1º ciclo do Ensino Básico, e os pais terão de comprovar, de alguma forma essa redução de rendimentos, com recibos de vencimento, declaração da segurança social em como atesta o desemprego, a declaração de Layoff“, disse a professora.

“Aqui na ‘Explicação da Gi’ somos uma família”, contou Ana Gisela Claudino, que trabalha em espaço próprio, na sua casa. “Fiz obras, tenho duas salas de explicação e no total somos seis professores: dois a tempo inteiro e quatro a part-time, abrangendo explicação, desde o 1º ciclo ao secundário, passando pelo ensino profissional e preparação para Exames Nacionais, trabalhando com pequenos grupos de alunos”.

Com a chegada da pandemia “tivemos um aumento da procura”

A professora explica que “a publicidade ao nosso trabalho sempre foi feita de “boca em boca”, quando iniciámos o regime online, passou pelos próprios alunos que aqui estão connosco e pelos pais. Como estava tudo a correr bem, em vez de diminuição de alunos tivemos um aumento, visto, e cá está a parte solidária, aceitamos irmãos de alunos nossos, familiares e amigos. Tentamos chegar a todos, o que fez com que a palavra se espalhasse pelas redondezas“.

Além disso, os resultados foram excelentes: “Se falarmos na questão dos alunos de preparação para exame nacional, todos eles passaram nos exames, com excelentes notas, e entraram nas faculdades pretendidas. Juntos conseguimos.

O feedback dos pais também é excelente. Se verificarmos que a publicidade dos nossos serviços é feita por eles, é sinal de que gostam e de que se sentem acolhidos. Todos eles nos dizem que somos mais do que professores de apoio ao estudo ou explicadores, somos uma família, somos pessoas muito humanas que se preocupam, não só com os resultados escolares, mas com os seus problemas que poderão interferir de alguma forma nas vidas dos seus filhotes. 

Acabamos muitas vezes por sermos os confidentes dos pequenos e isso faz-nos pensar que temos um lugar importante na vida deles”, contou.

Redução das mensalidades não prejudicou os professores

“Não irá interferir em nada. Os professores têm os seus vencimentos assegurados pois trabalham com os 2º e 3º ciclos do Ensino Básico, Secundário e Profissional. Quem trabalha com o 1º ciclo sou eu, daí não haver problema com a parte financeira dos colegas. Além disso, estão todos disponíveis para ajudar no que for necessário, e é de coração o trabalho que aqui desenvolvem.

Não vou dizer que não é importante pagar os seus serviços, sim é, pois todos nós temos contas para pagar, mas eles também têm o “bichinho” do solidário, portanto, fico descansada com essa parte. Se precisar, eles estão lá!”.

De momento a “Explicação da Gi” tem 75 alunos, distribuídos pelo 1º, 2 e 3º ciclos, secundário, ensino profissional e preparação para exames, sendo o 1º ciclo o que tem menos alunos. “Abrangemos não só a Quinta do Conde, mas tendo em conta o regime online, temos alunos de Sesimbra, Setúbal, Barreiro, Seixal, Lisboa, Alentejo. Algo que nos acontece com frequência é ex-alunos, que saíram por diversas razões, e voltarem, nomeadamente, na altura dos Exames Nacionais”.

Mas a professora não se foca apenas no apoio escolar. “Tenho vários projetos além da explicação. Temos o grupo da ‘Malta Solidária da Gi’, em que ajudamos famílias com carências económicas na Quinta do Conde, e abracei o projeto, como Presidente da Associação de Pais da Escola Básica e Integrada da Boa Água“, referiu.

- publicidade -

A página de Facebook chama-se “A Caminho do Sucesso“, pois segundo Ana Gisela Claudino, “este foi um nome sugerido por alguns ex-alunos para uma página de Facebook e em breve do nosso site”.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui