DistritoDistrito SetúbalJustiçaSesimbra
Em Destaque

83 barbatanas de tubarão apreendidas no porto de Sesimbra

Embarcação de espadarte transportava barbatanas de tubarão.

- publicidade -

A GNR apreendeu hoje 83 barbatanas de tubarão no Porto de Pesca de Sesimbra, no distrito de Setúbal, no âmbito de uma fiscalização dirigida às atividades de pesca profissional, tendo ainda encontrado 21 quilogramas daquele peixe esfolado e esviscerado.

Segundo a informação divulgada, a apreensão da Unidade de Controlo Costeiro (UCC) de Setúbal ocorreu após a fiscalização de uma embarcação de pesca do espadarte.

“Por ser proibido remover as barbatanas dos tubarões a bordo dos navios e manter a bordo, transbordar ou desembarcá-las, foram identificados o mestre da embarcação e a empresa responsável da embarcação. Foi ainda elaborado o respetivo auto de contraordenação, cuja coima pode atingir 25.000 euros”, indicou a GNR em comunicado.

Na nota, é explicado que a prática da remoção das barbatanas “contribui para a mortalidade excessiva” da espécie, ameaçando a sua sustentabilidade futura.

“A prática da ‘remoção das barbatanas de tubarões’ consiste em remover as barbatanas dos tubarões e devolver a parte restante do corpo ao mar, onde o animal acaba por se afundar, sangrando até à morte ou sufocando”, é referido.

De acordo com a GNR, a União Europeia (UE) é um dos maiores exportadores de barbatanas e uma importante plataforma de trânsito para o comércio mundial de barbatanas, apesar de ser uma prática ilegal.

“A GNR concorre diariamente para o esforço de acabar com o comércio de barbatanas na UE, incluindo a importação, a exportação e o trânsito de barbatanas que não se encontrem naturalmente unidas ao corpo do animal”, precisou.

As 83 barbatanas apreendidas e os 21 quilogramas de tubarão foram entregues no Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) para análise.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui