Opinião

2870 Montijo (1/3)

Esta semana um artigo de Rui Aleixo

publicidade

Agora que se celebraram os 35 anos da elevação da Vila de Montijo a Cidade de Montijo, é uma boa altura para reflectirmos na cidade que nos prometeram, na cidade que temos e na cidade que queremos para o futuro.

Este é um artigo em três partes: Passado, Presente e Futuro. Comecemos pelo Passado.

1. A cidade que nos prometeram

O 35º aniversário foi assinalado com a inauguração da ciclovia do Caminho de Ferro. Esta ciclovia, prometida em 2000 [1] foi, finalmente, inaugurada em 2020 (ainda falta a iluminação, mas isso é outra história). Ou seja, com cerca de 20 anos de atraso. Quanto custou à cidade esta demora, agora que já se fala, que a ciclovia poderá ser substituída por uma linha de caminho de ferro para dar apoio ao terminal aeroportuário?

Este exemplo não é, infelizmente, único. Recorde-se o caso do PEZOR, o Plano Estruturante da Zona Ribeirinha, ou em bom rigor, o PZERO [2]. Apresentado em 2001 para apaziguar a ira da mudança do cais para o Seixalinho, e prometido para ser realizado pelo menos em dois mandatos (ou seja, com a conclusão esperada em 2009), o PZERO mal saiu do papel à excepção da pequena zona entre o Cais dos Vapores e o Moinho de Maré, quando o objectivo era a recuperação integral da zona ribeirinha entre o Seixalinho e a Lançada. Também aqui se pode perguntar quanto tem custado à cidade este atraso em relação ao que foi prometido?

A cidade que nos prometeram em 2001 teria uma rede de mini-autocarros [3,4] para ligar as diferentes partes da cidade e um eléctrico (não muito diferente do BRT que criticavam ao João Afonso) ao longo do rio, ligando o Afonsoeiro ao centro da cidade. O actual edil, então vereador, proclamava urbi et orbi: “os trabalhos irão para a frente com ou sem apoios do governo” [5]. Até hoje, nada. Também aqui se pode colocar a questão, quanto tem custado à cidade esta demora?

Em 2005, prometia o então vereador Nuno Canta, um Centro Ciência Viva para o Palacete do Páteo de Água e, entusiasmado com o Choque tecnológico do seu camarada José Sócrates prometia igualmente uma incubadora de empresas para Montijo [6]. Quinze anos depois ninguém viu o Centro de Ciência Viva, o Palacete deu lugar à Junta de Freguesia, e a incubadora ainda deve estar a ser incubada. Um jovem que em 2005 tivesse 15 anos e que poderia ter sido motivada aqui na sua terra para seguir as áreas de ciência, não teve essa hipótese. Essa criança, agora um adulto de 30 anos, não tem apoio para lançar aqui a sua empresa porque a famosa incubadora não existe. São 15 anos perdidos. 15 anos de atraso.

Para terminar, o misterioso caso da Circular Externa. A Circular Externa foi outra das contrapartidas prometidas com a deslocalização do Cais dos Vapores para o Seixalinho [4]. Esta obra seria financiada pelo então Instituto Nacional de Estradas de acordo um protocolo assinado com a autarquia [7,8]. Mas nunca foi concluída. Nunca se viu nem empenho, nem esforço da autarquia em exigir o cumprimento dessa obra ao governo. Actualmente, foi novamente prometida pelo edil Nuno Canta no nunca visto nem debatido caderno de encargos para ANA [9].

Este resumo não pretende ser exaustivo, mas ilustra bem o que tem sido o passado recente da Cidade de Montijo: um conjunto de boas ideias que não são concretizadas e outras que demoram eternidades a serem realizadas perdendo assim muito da sua eficácia desejada.

(Continua)

Referências bibliográficas

[1] Jornal do Montijo, Pista para bicicletas “sobre carris”, 21-01-2000.

[2] Plano Estruturante da Zona Ribeirnha, disponível em https://www.mun-montijo.pt/cmmontijo/uploads/writer_file/document/3010/Plano_Estruturante_Zona_Rib_Mtj.pdf

[3] Informação à População, Terminal Fluvial do Seixalinho Começou a Obra, 8-06-2001, Câmara Municipal de Montijo.

[4] Antunes, Maria Amélia, Cais do Seixalinho: Razões de uma Opção (Excertos da intervenção da presidente de Câmara Municipal de Montijo na reunião de Câmara de 14-2-2001. Nova Gazeta,

[5] Setúbal na Rede, Montijo aposta na implantação do eléctrico, 24-01-2000.

[6] Jornal do Montijo, Montijo recebe Centro de Ciência Viva, p. 3, 18-11-2005.

[7] Jornal do Montijo, Circular Externa pode avançar em Junho, p. 2, 31-05-2002.

[8] Jornal do Montijo, Circular Externa: adjudicação pode voltar à estaca zero, p. 2, 14-05-2004.

[9] Câmara Municipal de Montijo, Montijo entrega caderno de encargos à ANA – Aeroportos de Portugal in https://www.mun-montijo.pt/frontoffice/pages/814?news_id=1560 acedido no dia 19/08/2020.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo

Permita anúncios

Detetámos que utiliza um bloqueador de anúncios.
Apoie o jornalismo sério e considere desativá-lo para o nosso site.
Saiba como desactivar: carregue aqui