Editorial

10 anos a informar diariamente!

10 anos a informar os nossos leitores.

- publicidade -

Hoje o Diário do Distrito está de parabéns, foi a 28 de janeiro de 2011 que o projeto arrancava nas autoestradas das novas tecnologias e que prometia ser um projeto editorial que iria ainda dar que falar.

Passados 10 anos, a equipa do Diário do Distrito cresceu, uns entraram, outros saíram, alguns com saudade e outros nem por isso, anos esses de memórias e grandes histórias.

Histórias que deram lugar a momentos hilariantes, como em 2016, o Diário do Distrito recebia de fontes credíveis que o Dr. Mário Soares tinha falecido, uma noite de grande tensão para a redação, uma redação que não sabia se avançava ou não com a notícia.

 A informação foi colocada e a pressão das redes foi tanta que o Diário do Distrito ficou minutos offline, momentos depois alguns media como a Visão, Rádio Elvas entre outros lançavam a notícia, a SIC foi uma desses media que também lançou mas minutos mais tarde viria a colocar que era um erro. Com a decisão da minha direção editorial deixamos a notícia, pois o nosso “pupilo” João Matos nessa noite fazia quilómetros para falar com fontes que lhe confirmavam a morte do ícone do Partido Socialista.

Outro “pupilo” João Cadete, desdobrava-se em contactos com personalidades religiosas tuteladas ao Mosteiro dos Jerónimos para confirmar o velório e o funeral.

Muitos contactos recebemos nós na redação a dar conta da morte do Dr. Mário Soares a 29 de dezembro de 2016, pelas 22h10.

Nos dias seguintes, o trabalho de campo foi realizado com uma visita ao cemitério dos Prazeres, onde a minha camarada Isabel de Almeida, desapareceu e foram horas de procura, até que nos aparece com os sapatos cheios de lama, pois tinha andado pelo meio do espaço e enfiada no barro, acabando por limpar os sapatos em folhas de jornal onde noticiava Porto e Benfica.

Noticia essa que nos valeu três queixas na Entidade Reguladora para a Comunicação Social, e que ainda hoje só sabemos quem foi uma das personagens que ficou indignada com o tal jornal que diz publicamente ignorar.

Momentos como este, foram muitos, 10 anos cheios de uma história que certamente iremos todos recordar em breve e quem sabe se não nasce um livro com as memórias dos jornalistas e diretores deste jornal. Espero estar por cá mais anos e que possa contar nos meus editoriais alguns momentos hilariantes. Quanto à equipa que tenho, uma só palavra, vocês são os maiores, são a nossa família, como diz o ditado: “A família não se escolhe, mas os amigos, esses, podemos escolher”. Bem haja a todos.

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Botão Voltar ao Topo